Avaliação do Programa

Avalie o seu programa de conservação auditiva.

Certifique-se de que o seu programa de conservação auditiva é executado com avaliações regulares. Este procedimento ajuda a identificar tendências, ampliar as áreas problemáticas e promover o melhoramento.

O seu programa de conservação auditiva é eficaz?

  • Programa de Conservação Auditiva 3M

    O objetivo final de um programa de conservação auditiva é proteger as pessoas contra a perda auditiva induzida por ruído causada pelo trabalho em ambientes perigosamente ruidosos. Quando todas as tarefas do Programa de Conservação Auditiva forem concluídas, e todos os regulamentos forem verificados e seguidos, é importante avaliar a eficácia do Programa Global de Prevenção de Perda Auditiva. Está realmente a impedir a perda auditiva induzida por ruído? Há lacunas? Como melhorar? O Programa de Prevenção de Perda Auditiva é eficiente e económico?

    Há várias maneiras de medir a eficácia do programa. Uma delas, é avaliar especificamente as alterações que ocorrem como resultado do programa, tais como a tendência temporal do número de casos de perda auditiva. Podem ser rastreadas outras medidas de resultados, bem como a redução bem sucedida das fontes e exposições ao ruído. Outra abordagem possível é olhar para o custo de um Programa de Prevenção de Perda Auditiva e compará-lo com o custo da implementação de controlo do ruído para reduzir riscos. Também pode ser útil auditar o Programa de Prevenção de Perda Auditiva para conformidade e/ou analisar as políticas e práticas da empresa para garantir o alinhamento entre o que está no papel e o que realmente acontece na prática. Foi recentemente desenvolvida uma lista de verificação do programa de conservação auditiva para avaliação da eficácia (Neitzel et al, 2017).

    É aconselhável a realização de avaliações rotineiras da eficácia do programa. Os empregadores optam por analisar aspetos do Programa de Conservação Auditiva em horários diferentes para distribuir a carga de trabalho ao longo do ano ou por realizar uma auditoria anualmente na mesma altura, ou de dois em dois anos. A avaliação do programa pode ser feita através de recursos internos, contratação do serviço de especialistas externos no assunto, ou através de uma combinação de ambos. Por fim, uma vez identificadas as principais conclusões, o passo seguinte é incorporar as recomendações do Programa de Prevenção de Perda Auditiva.

Conclusões Principais

    • O programa de prevenção da perda auditiva evita que os trabalhadores expostos ao ruído sintam deslocamentos do limiar padrão.
    • A análise dos registos, políticas e práticas do programa de conservação auditiva ajuda os empregadores a avaliar a qualidade dos seus esforços.
    • A avaliação regular do programa pode identificar tendências, detetar as lacunas e promover o melhoramento.
    • A avaliação pode incluir a análise de custos e o retorno do investimento (ROI).
    • Análise da base de dados audiométricos
    • Auditoria
    • Lista de verificação
    • Fórmula da Deficiência Auditiva
    • Medidas de resultados
    • Retorno sobre o investimento (ROI)
    • Procedimento Operacional Padrão
    • Deslocamento do Limiar Padrão
    • Indicador Chave de Desempenho
webLoaded = "false"

Introdução à Avaliação do Programa

  • Um recurso essencial de um Programa de Prevenção de Perda Auditiva bem sucedido, é uma equipa com uma pessoa designada como responsável. Uma ferramenta rápida para ajudar a identificar a equipa é preencher o formulário de "Quem é o responsável?" Concluir este exercício pode revelar duplicações, lacunas ou incertezas sobre quem está a fazer que tarefa e fornecer algumas orientações para os passos seguintes. O responsável da equipa pode reunir a equipa em reuniões regulares para definir metas, discutir problemas e avaliar o programa total. A avaliação do programa pode ser concluída pela equipa do Programa de Prevenção de Perda Auditiva, embora, nalguns casos, seja possível optar por subcontratar este serviço a um prestador independente.

  • Há várias abordagens para a avaliação do programa. Podem ser utilizadas listas de verificação simples para determinar se as políticas e procedimentos da empresa estão em conformidade com os regulamentos.

    Outra abordagem possível é identificar medidas de resultados específicas associadas ao êxito do programa. Se a equipa do Programa de Prevenção de Perda Auditiva definiu metas, podem ser utilizadas medidas de resultados para rastrear os progressos na conclusão do objetivo. São exemplos de medidas de resultados:
     

    • Redução do ruído, realizada através de controlos de engenharia
    • Número de trabalhadores inscritos no Programa de Prevenção de Perda Auditiva
    • Conclusão do teste de ajuste de proteção auditiva
    • Tendência de ocorrências de deslocamento do limiar padrão
    • Taxas de deficiência auditiva
  • A avaliação do programa de avaliação pode ser um processo contínuo em termos de garantir que as tarefas são concluídas como planeado e os requisitos regulatórios cumpridos. No entanto, podem ser programadas avaliações especiais periodicamente para aprofundar os detalhes. Alguns programas envolvem auditorias internas anuais, tais como a preparação para uma possível inspeção externa não programada.

  • As recomendações de melhoramento podem ser simples, tais como a identificação de posições dos dispensadores de proteção auditiva no local de trabalho, ou mais complicadas, tais como o desenvolvimento de um plano para aumentar a taxa de conclusão dos testes audiométricos repetidos para os trabalhadores que identificam um deslocamento do limiar padrão. As mudanças de programa podem ser complexas, tais como planear estrategicamente a implementação de projetos de controlo de engenharia para reduzir a exposição pessoal diária ao ruído superior a 80 dB (a), por exemplo.

  • Gerir um programa de conservação auditiva eficaz custa dinheiro, tempo e energia. É útil calcular os custos reais do programa e comparar com os custos da redução do ruído perigoso. Uma análise de custo-eficácia pode revelar se os recursos estão a ser atribuídos adequadamente, ou se as alterações poderiam aumentar a eficácia do programa.


O que é necessário?

  • A Diretiva Europeia sobre Agentes Físicos (Ruído) 2003/10/CE estabelece requisitos mínimos para a proteção dos trabalhadores contra os perigos para a saúde e a segurança resultantes da exposição ao ruído e do risco para a audição. A Diretiva explica os princípios orientadores da redução ou eliminação do risco de perda auditiva induzida por ruído. Implicitamente, a Diretiva engloba os elementos principais do programa de conservação auditiva.


Noções Básicas da Avaliação do Programa

  • Lista de Verificação de Conformidade

    Nalguns casos, é criada uma lista de verificação da conformidade normativa para garantir que todos os requisitos regulamentares são cumpridos pelas políticas e procedimentos da empresa. Na realidade, uma lista de verificação da conformidade é diferente da avaliação da eficácia do programa, no entanto, é um bom ponto de partida para registar que o programa de conservação auditiva está em conformidade. É possível encontrar várias listas de verificação de conformidade na Internet, incluindo esta, disponibilizada pelo Instituto NIOSH.


Para Além do Básico

  • Auditoria do Programa

    Uma auditoria do programa de conservação auditiva é mais detalhada do que uma lista de verificação de conformidade. Normalmente, envolve entrevistar membros da administração, o pessoal e a força de trabalho. Os registos podem ser analisados em detalhe e é feito um esforço para identificar se as práticas quotidianas estão alinhadas com as políticas e os procedimentos da empresa. Uma auditoria 'deep dive' do programa pode ser realizada por uma equipa interna ou subcontratada a um fornecedor externo especialista no assunto.

  • Rastreio de Medidas de Resultados

    Podem ser utilizadas medidas de resultados para determinar o efeito de um programa de intervenção. Seguem-se exemplos. Selecione uma ou mais e acompanhe os resultados ao longo do tempo para identificar tendências e orientar as decisões do programa. Estas medidas podem centrar-se nos resultados da base de dados audiométricos para acompanhar as ocorrências das alterações da audição ou perda auditiva. Idealmente, as ocorrências de alterações da audição ou de deslocamento do limiar padrão no grupo de trabalhadores expostos ao ruído devem ser as mesmas do que as de uma população de trabalhadores não expostos ao ruído nas mesmas instalações. Utilizar esta abordagem significa que os testes de audição devem ser realizados em indivíduos não inscritos no Programa de Conservação Auditiva, o que pode não ser prático.

  • Percentagem de Deslocamento do Limiar Padrão

    Para calcular a incidência de Deslocamentos do Limiar Padrão, divida o número de casos pelo número de testes anuais e multiplique o resultado por 100.

    % STS = 100 x (# de STS/ # testes anuais)

    Por exemplo, uma empresa que realizou 200 testes de audição anuais detetou 9 casos de Deslocamento do Limiar Padrão. A percentagem total de Deslocamento do Limiar Padrão para o grupo exposto ao ruído é de 100 x (9/200) ou 4,5%. O rastreio deste número ao longo do tempo pode ajudar a identificar se a taxa de Deslocamento do Limiar Padrão é aceitável e/ou estável.

  • Variabilidade Audiométrica

    Outra abordagem possível, é medir a variabilidade dentro da base de dados audiométricos relativamente aos trabalhadores submetidos ao teste ao longo de vários anos. A alta variabilidade em limiares audiométricos de uma população pode ser um sinal de alterações na audição, testes de audição de má qualidade ou outros fatores que comprometem a integridade dos dados.

  • Outras medidas de resultados

    Podem ainda ser medidos outros aspetos do programa de conservação auditiva, tais como o rastreio do número de pessoas em grupos de exposição crítica, esforços de controlo do ruído que resultam na diminuição da exposição, ou na obtenção de um alvo para a realização do teste de ajuste da proteção auditiva.

    Seguem-se alguns exemplos para monitorizar a mudança ao longo do tempo:
     

    • Número de decibéis reduzido em projetos de controlo do ruído
    • Classificação da Atenuação Pessoal após o teste para ajuste da proteção auditiva
    • Número de tipos de proteção auditiva oferecidos e utilizados
    • Alteração da conformidade de utilização da proteção auditiva após a formação

Já Considerou?

    • É possível propagar a fase de avaliação ao longo do tempo a fim de estudar um único aspeto do programa, tal como a qualidade do banco de dados audiométrico?
    • Os recursos gastos no controlo de ruído permitiriam uma redução de custos a longo prazo, através da redução do número de pessoas no programa de conservação auditiva?
    • Realizar um inquérito aos trabalhadores expostos ao ruído para conhecer a sua opinião sobre o programa de conservação auditiva?
    • Subcontratar um especialista externo no assunto para realizar uma análise 'deep dive' da variabilidade dos dados audiométricos, manutenção de registos e práticas de intervenção?
    • Criar uma análise dos pontos fortes, pontos fracos, vantagens e ameaças do Programa de Prevenção de Perda Auditiva?
  • NOTA IMPORTANTE: Esta informação assenta nos requisitos nacionais atuais selecionados. Os requisitos locais ou de outro país podem ser diferentes. Consulte sempre as Instruções do Utilizador e siga os regulamentos nacionais. Este Website contém uma visão geral de informações genéricas e não deve ser invocado para a tomada de decisões específicas. A leitura desta informação não garante proficiência em segurança e saúde. A informação é atual a partir da data de publicação, e os requisitos podem mudar no futuro. Estas informações não devem ser invocadas isoladamente, dado que o conteúdo é muitas vezes acompanhado por informações adicionais e/ou esclarecedoras. Todas as leis e regulamentos nacionais aplicáveis devem ser cumpridos.

    Para mais informações, contacte o representante da 3M.

Siga-nos
Mudar localização
Portugal - português