Profissionais de saúde oral utilizam um respirador 3M

Prioridade na saúde e no bem estar dos fornecedores e pacientes

Informação de suporte aos fornecedores de saúde oral e e prevenção de infeções durante a pandemia do COVID-19

Suporte informativo para os fornecedores de saúde oral relativos a pandemia COVID-19

  • A 3M está a responder à rápida mudança da pandemia COVID-19 ao fornecer suprimentos onde estes são mais necessários. Em todo o mundo, estamos a trabalhar com os clientes de saúde oral funcionários do governo e médicos, no intuito de fornecer produtos de primeira necessidade. A 3M tem aumentado a produção de serviços globais incluindo nos Estados Unidos, Asia Pacífico, Europa e America Latina.

    Escolher o equipamento de proteção (PPE) é vital para a proteção dos profissionais de saúde e pacientes de alto risco em situações de contágio.

    Em baixo apresentamos a lista das perguntas mais frequentes que são colocadas com respostas e links para uma mais rápida informação.

Perguntas mais frequentes sobre Equipamento de Proteção Individual (EPI) para profissionais de saúde oral

  • Não, as mascaras a nivel de saude oral têm diferentes niveis de resistencia aos fluidos, dependendo do material de que são feitos.
    É importante ler as especificações para determinar qual o modelo adequado para os procedimentos de saúde oral.
    Alem disso para proteger os pacientes de particulas expelidas pela água, as mascaras resistentes aos fluidos criam uma barreira que ajuda a fluidos de saliva ou sangue não atinjam nariz e boca.

  • De acordo com o CDC , o control de precauções e infeções , os profissionais de saúde oral, devem vestir equipamento adequado , incluindo máscaras , quando jatos ou sprays de sangue ou fluidos corporais são possíveis de ocorrer.

    Na escolha da máscara, o profissional de saúde oral deve considerar , as resistências aos fluidos, capacidade de filtragem e capacidade respiratória

    De acordo com o CDC a resposta à prevenção e a orientação de medidas para a COVID 19 , os profissionais de saúde de saúde oral devem escolher os mais eficazes equipamentos a nível de proteção disponíveis

    Para esclarecimentos adicionais por favor visitar:

  • As máscaras cirurgicas foram desenhadas para reduzir o risco de contaágio das partículas expelidas pela saliva e muco.

    Na Europa, os métodos dos testes e requerimentos para as máscaras cirurgicas estão especificadas no EN14683:2019+AC2019 para as máscaras faciais (máscaras cirurgicas). Máscaras Cirurgicas têm a marca CE como classe I a nível de dispositivos médicos de acordo com o EMDR (european medical device regulation)

    De acordo com as normas standards, as mascaras cirurgicas têm de ser testadas para a sua:

    • Eficácia na filtração bacteriana, (BFE) que tem de ser testada in vitro
    • Ventilação
    • Resistencia de respingo (opcional)
    • Limpeza microbiana
    • Biocompatibilidade

    Baseado no resultado dos testes BFE, as mascaras são divididas em dois tipos

    • Mascaras tipo I têm uma eficiencia de filtração minima de 95%
    • A tão conhecida mascara tipo II têm uma eficiência de filtração minima de 98%.

    Nas medidas standard, é mencionado que as máscaras cirurgicas tipo I devem ser apenas usadas para pacientes e outras pessoas para reduzir o risco de contágio particularmente em situações epidemicas e pandemicas. A máscaras tipo I de acordo com as normas não devem ser usadas por profissionais de saúde oral em salas de operações ou em situações com procedimentos similares, mas em vez disso usadas para uso pelos pacientes e outras pessoas para redução da disseminação da infeção.

    De acordo com o estabelecido, as máscaras tipo II ( exemplo, máscaras com um mínimo BFE de 98%) pode ser testada e classificada como resistente aos respingos. A resistência aos respingos é referenciada com o capital "R". Isto quer dizer que as máscaras cirurgica tipo IIR são resistentes as respingos com um BFE mínimo de 98%.

    Muitas vezes as máscaras apresentam um ajuste fraco, deixando espaços entre a máscara e a face. Verifique as especificações das máscaras para identificação da resistência de fluidos.

    Os respiradores são desenhados para reduzir a exposição a partículas no ar. Os respiradores são testados e verificados.

    Na Europa, os respiradores são testados de acordo com os testes EN 149-2001+A1 2009.

    Quando os respiradores são testados de acordo com o EN 149, o conhecido, "total vazamento interno"(TIL) é medido. O TIL é defenido pelo somatóriio de: 12

    • A eficiencia de filtragem,
    • A eficiência da ligação entre as máscaras e a pele da face (ajuste facial)
    • A performance entre da valvula de exalação (se filtrada).

    Baseada nos resultados dos testes, os respiradores são divididos em 3 categorias: FFP1, FFP2, OU FFP3 (FFP significa filtração do filtro). O mínimo do critério de filtração para a TIL é de12

    • Respiradores FFP1 têm de ter um TIL não superior a 22%
    • Respiradores FFP2 têm de ter um TIL não superior a 8%
    • Respiradores FFP3 têm de ter um TIL não superior a 2%

    Sumário de diferenças entre Máscaras cirurgicas e respiradores;

    • Máscaras cirurgicas não têm o objetivo de proteger o usuário dos aerosois.Os dispositivos de proteção respiratória são desenhados para a proteção de aerosois e perigos biológicos a nível de respiração
    • As máscaras cirúrgicas podem proteger um paciente ou o ambiente de partículas potencialmente contagiosas exaladas.
    • Um filtro que perde a sua carga eletroestatica será menos eficiente contra a filtração de certas particulas no ar.
    • Limpeza microbiana (carga biológica) respirável e BFE, são um importante requerimento para as máscaras cirurgicas
    • O tipo IIR de máscaras cirurgicas não oferecem proteção respiratória
    • O tipo I de máscaras cirurgicas de acordo com o EN 14683 são elaboradas para o uso em pacientes e outras pessoas no intuito de reduzir o risco de infeções , particularmente em epidemias e pandemias.
    • Baseado no vazamento interno total e eficiência de filtração, a proteção respiratória em dispositivos são classificados em FFP1, FFP2 e FFP3

    Para informações adicionais por favor visite:

    Respiradores e máscaras cirurgicas : Comparação - Boletim técnico (PDF, 309 KB)

  • Diferenças entre E149 e N95

    Os mais importantes protocolos e sistemas de classificações para os dispositivos de proteção respiratórios . São os (Europeus) EN 149 Teste standard e os (EUA) N95 teste e protocolo.

    • EN149 and N95
    • Os dispositivos de proteção respiratória que são vendidos no mercado europeu têm de conter a marca CE. A marca CE de um dispositivo de proteção respiratória existe efetivamente em 4 componentes que têm de ser impressos em cada produto individual, bem como na embalagem do produto. Os 4 componentes são:

      1. As mascaras CE
      2. Os testes standard (EN149)
      3. As Classificações FFP (FFP1, 2 E 3)
      4. Os 4 digitos de identificação do organismo de identificação

    A norma N95

    O Instituto Nacional de Segurança e Saúde Ocupacional (NIOSH) é a organização dos EUA responsável por testar e certificar os respiradores de máscara facial com filtro (FFRs). Dependendo dos resultados do teste, eles classificam os dispositivos de proteção respiratória em 9 categorias. Quais são: 14

    • N95, N99, N100
    • P95, P99, P100
    • R95, R99, R100

    Os números na classificação NIOSH indicam a eficiência mínima do filtro

    N significa Não resistente ao óleo (adequado para uso em ambientes de saúde)

    R para Resistente ao óleo.

    P para Prova de óleo.

  • Os respiradores FFP2 standard e cirúrgicos são projetados para ajudar a reduzir a exposição do usuário a riscos de partículas no ar.

    Os respiradores FFP2 são tipicamente usados ​​em ambientes industriais e não são considerados resistentes a fluidos, enquanto os respiradores cirúrgicos N95 são resistentes a fluidos e tipicamente usados ​​em ambientes de assistência médica.

    Para informações adicionais, visite:

  • Teste de ajuste

    • Conduzido por um teste de ajuste.
    • Verifica se o respirador pode alcançar um ajuste aceitável no rosto do utilizador.
    • Deve ser realizado anualmente ou com mais frequência se o rosto do utilizador mudar de uma maneira que possa afetar o ajuste.

    Verificação do selo do utilizador

    • Realizado pelo utilizador sempre que o respirador é usado.
    • Confirma que o respirador está a ser usado corretamente e ajustado na face.

  • Máscaras médicas e respiradores são desenvolvidos e regulamentados como dispositivos descartáveis. No entanto, todos os fornecimentos ficaram limitados devido à pandemia do COVID-19.

    O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças publicou no seu "Relatório Técnico de março de 2020" algumas orientações sobre como lidar com uma possível escassez de EPI. 2

    Na página 2 desse relatório, podemos ler:

    • O uso de EPI para os diferentes procedimentos a serem executados deve ser considerado numa avaliação de risco caso a caso
    • Profissionais de saúde que realizam a primeira avaliação sem contato direto; o paciente deve usar uma máscara cirúrgica and e manter uma distância de pelo menos 1 metro.
    • Se possível, uma barreira física como vidro ou janela de caixa de plástico pode ser usada para evitar o contato direto e manter a distância; nesse caso, nenhum EPI é necessário.
    • Se disponível, forneça uma máscara cirúrgica para pacientes com sintomas respiratórios (por exemplo, tosse)
    • Os profissionais de saúde que executam procedimentos que produzam aerossóis (AGP), como a zaragatoa, devem usar o conjunto de EPI sugerido para gotículas, contato e transmissão aérea (luvas, óculos, bata e respirador FFP2 / FFP3)
    • Se houver falta de respiradores FFP2 / FFP3, os profissionais de saúde que executam procedimentos em contato direto com um caso suspeito ou confirmado (mas sem risco de produzir aerossol) podem considerar o uso de uma máscara com o mais alto nível de filtro disponível, como uma máscara cirúrgica , além de luvas, óculos e bata.
    • Para maximizar o uso de EPI, se houver um acesso insuficiente ao stock de materiais de EPI, a equipa deve ser designada para executar procedimentos, ou um procedimento, em áreas designadas. Por exemplo, designe pessoal para os procedimentos de limpeza com cotonete numa área dedicada à limpeza com cotonete.
    • Enquanto testa os pacientes, a equipa de saúde pode usar o mesmo respirador por vários pacientes por um período máximo de 4 horas sem precisar removê-lo, desde que não esteja danificado ou sujo, a menos que o fabricante o aconselhe explicitamente.

    Para informações adicionais, visite:

  • A 3M está a colaborar com várias empresas e instituições de esterilização que estão a investigar formas de os hospitais descontaminarem com segurança os respiradores.
    Nesse sentido, a 3M está comprometida em testar os respiradores da 3M em relação ao efeito dos processos de descontaminação no desempenho de ajuste e filtração.

    Estamos no processo de testar respiradores 3M em várias empresas de esterilização.
    Prevemos que informações adicionais estarão disponíveis à medida que este trabalho for concluído e analisado pelas agências reguladoras.

    As informações atuais suportam as seguintes conclusões para todos os respiradores de partículas da peça facial de filtragem da 3M:

    • A 3M não recomenda o uso de óxido de etileno devido a preocupações significativas associadas à eliminação de gases.
    • A 3M não recomenda o uso de radiação ionizante devido à degradação no desempenho do filtro.
    • A 3M não recomenda o uso de microondas devido ao facto de derreter as componentes metálicas do respirador, comprometendo o ajuste.
    • A 3M não recomenda o uso de alta temperatura, autoclave ou vapor devido à degradação significativa do filtro.

    Para informações adicionais, visite:

Não consegue encontrar o que procura? Contacte-nos

Aceda as últimas notícias e atualizações sobre COVID-19

Siga-nos
Mudar localização
Portugal - português